Cânios, Araucárias, comida boa e sorrisos, esta é Cambará do Sul

Deixe um comentário
Correndo o mundo... / Cultura / Meio Ambiente
Cânion Fortaleza

Cânion Fortaleza

Cambará do Sul está localizada na região nordeste do Rio Grande do Sul, próximo à fronteira de Santa Catarina. Possui, segundo dados do IBGE (censo de 2000), 6840 habitantes. Até 1963, data da fundação da cidade, pertencia ao Munípio de São Francisco de Paula.

Cambará foi cenário de muitas novelas e minisséries que contam a história do povo gaúcho, como Memorial de Maria Moura e a Casa das Setes Mulheres. Este cenário é um espetáculo e se completa com a hospitalidade com que os turistas são recebidos.

A serração é um espetáculo à parte, você perde seu olhar, apenas sente o ar úmido da cidade, que parece limpar o pulmão de paulistas como eu. A respiração se completa e o corpo agradece o ar puro.

Os Cânions são os grandes atrativos da cidade, o Cânion Fortaleza, este gigante é um templo de paz, contato com a natureza e com o divino. Impossível descrever a sensação. A dica para quem for à Cambará e quiser conhecer as maravilhas do Parque Nacional da Serra Geral precisa estar atento á metereologia. Se chover, desista do passeio, a estrada que leva até ao parque é de terra, com pedras e buracos (aproximadamente 28 kilometros). Mas nada disso tira o charme deste passeio por entre as Araucárias.

comida

Galpão Costaneira

Diante do Cânion e das cachoerinhas, da Pedra do Segredo, do sol e do frio, Cambará se apresenta como um dos santuários naturais do Brasil, pena, contudo, que poucos a conheçam. Hora de investimento e incentivo ao turismo ecológico. Em Cambará há inúmeras pousadas, aconchegantes e com um café-da-manhã que dá energia para a aventura do dia e para a hora do almoço, nada melhor do que uma comidinha típica e uma boa compania resgatando as histórias deste lugar tão especial.

Fiquei na Pousada Pôr do Sol e saboreei as delícias do Galpão Costaneira, que fica pertinho da Pousada. Vale a pena conferir o buffet e o espaço bem típico dos gaúchos tchê.

Na hora de descer a serra, cuidado com a serração na estrada, vale a pena optar pela estrada que corta Gramado e Canela, uma parada para um  chocolate quente, um café colonial, que é simplesmente uma torre de babel gastronômica, com uma variedade incrível de doces, salgados e vinhos.

The Author

jornalista, autora do livro de reportagens Mulheres Extraordinárias, Paulus Editora

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s