Prefeitura de Salvador precisa reencontrar seu prumo

foto: Karla Maria / Porto de São Salvador

Na semana passada, de 19 a 22, estive em Salvador (BA) para cobrir a beatificação da Irmã Dulce. A expectativa era grande, por ser uma pauta tão complexa com diversos ganchos, todos advindos da história de vida de uma mulher tão especial como Maria Rita Lopes, a irmã Dulce.

As Obras da Irmã Dulce começaram na década de 50, no bairro de Alagados, a periferia de Salvador, hoje chamado de Uruguai. Fui, portanto, até lá conferir as mudanças do local, ver as sementinhas plantadas pela beata. Para chegar até o Uruguai precisei usar mão do transporte público. São 2,50 centavos para cada viagem, que valeu a pena só pelo papo com os baianos, porque o trajeto e a segurança no ônibus foram horríveis. Atenção sobreviventes da Terra da Garoa, estamos bem na vantagem.

Puxando papo no ônibus começo a ouvir as críticas ao governo municipal, o mesmo que há dois meses não repassa a verba federal para as Obras da Irmã Dulce, pasmem: 14 milhões. As obras totalizam 46% de todo o atendimento de saúde pública de Salvador. João Henrique de Barradas Carneiro, o prefeito dessa terra única, é alvo de duas ações civis de responsabilização por ato de improbidade, justamente por não repassar verbas, como pode ser visto nessa matéria.

foto: Karla Maria / Baianas na beatificação irmã Dulce

Salvador é linda por natureza, carrega em sua história e no rosto de seu povo o DNA do brasileiro. Em cada cantinho da cidade, respira-se história, poesia, música, axé, ginga, cor, literatura e gastronomia, respira-se a simpatia e a gentileza do baiano. Mas esse berço nosso precisa ser cuidado. caminhando pela cidade (e como andei!) vi muito lixo e buraco nas vias, da periferia ao centro histórico, no Pelourinho vê-se o descaso público. É uma vergonha que Salvador esteja tão abandonada, vergonha!

Para a sorte de Salvador e do Brasil, para a nossa sorte, somos abençoados com tamanhas belezas e geografia única. Fecho os olhos e me lembro da linda visão da orla Barra-Ondina com o farol ali à espera de uma visita; llembro do banquinho de Vinícius de Moraes em Itapuã; da Igreja de São Francisco iluminada de ouro;  das ladeiras do Pelourinho cheias de história, das saias e colares das baianas, do sorriso gostoso daquele povo, do acarajé com caruru – sabor novo pra paulista aqui.

Mas tudo isso, que é maravilhoso, não tira a vergonha de Salvador – cheia de patrimônio histórico da humanidade – estar abandonada, como pude ver com meus olhos. A prefeitura precisa tomar conta da cidade, cumprir seus contratos e repasses, não só no Carnaval para as emissoras de tv, precisa reencontrar seu prumo e tomar conta dos baianos, o ano inteiro.

Confira a cobertura nos links abaixo:
Igreja beatifica Irma Dulce dos Pobres
“Anjo bom da Bahia” foi beatificada

Anúncios

Um comentário em “Prefeitura de Salvador precisa reencontrar seu prumo

  1. Oi Karla,

    Parabéns pela crônica, você está cada vez melhor… Parabéns.
    Quanto a Salvador me parece que o “nosso berço” está cada vez mais sendo abandonado.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s