Livros publicados

O peso do jumbo: histórias de uma repórter de dentro e fora do cárcere

Apurado em presídios de São Paulo e do Rio Grande do Sul, o livro-reportagem O peso do jumbo traz histórias da jornalista Karla Maria de dentro e fora do cárcere. A obra publicada pela PAULUS Editora revela a humanidade e a falta dela no sistema que aprisiona seres humanos sem expectativa de ressocialização e de combate ao crime. Ao longo das páginas deste livro, a jornalista mostra como é viver atrás das grades ou refém delas, em lugares onde se articulam o tráfico e o crime organizado.

De acordo com Karla Maria, a produção do livro demorou cerca de dois anos, entre apuração, visita aos presídios, entrevistas e processo de escrita da obra. “O objetivo de O peso do jumbo é fazer com que as pessoas tenham um pouco mais de compreensão do que é o sistema carcerário brasileiro e sua complexidade, que envolve não só as vítimas ou o criminoso, mas agentes penitenciários, policiais, juízes e familiares de pessoas presas”, afirma.

O livro-reportagem apresenta a realidade dos presidiários no Brasil e a de todos que convivem com essas pessoas antes, durante ou depois do cumprimento da pena. “Por meio do livro, espero que as pessoas entendam a dificuldade de aprisionar pessoas sem possibilitar que elas se ressocializem, oferecendo mão de obra para o crime organizado; é preciso combater a falácia de que a segurança pública tem uma solução fácil”, aponta.

Entre os presídios visitados pela jornalista está o Presídio Central de Porto Alegre (RS), que já foi considerado um dos piores da América Latina. Para a elaboração da obra, Karla Maria contou com o apoio da Secretária de Assistência Penitenciaria, voluntários, juízes e agentes da Pastoral Carcerária, entidade ligada à Igreja Católica.

 

Irmã Dulce – A santa brasileira que fez dos pobres sua vida

Publicado pela PAULUS Editora, o livro reportagem Irmã Dulce – A santa brasileira que fez dos pobres sua vida, escrito pela jornalista Karla Maria, traz detalhes escondidos e íntimos da história de Irmã Dulce. A obra apresenta diversas narrativas, a partir do trabalho de apuração e de escuta atenta das testemunhas vivas que conviveram com a freira que dedicou sua vida a amar e a servir.

Na obra, o leitor encontrará detalhes históricos da vida da santa baiana, seu trabalho de denuncia e defesa dos mais necessitados. Com linguagem literária, a autora busca envolver seus leitores nessa viagem de apuração pela Cidade Baixa, em Salvador, e pela história. Surpreende ao emocionar-se com relatos de fé e de milagres.

“Escrever sobre irmã Dulce, caminhar por onde ela caminhou, ouvir e registrar os depoimentos de pessoas que com ela conviveram e dela receberam carinho, acolhida, ou a intercessão para os milagres, foi uma experiência bonita, de reencontrar o humano em uma sociedade que se mostra cada vez mais desumanizada”, afirma a jornalista.

Em cada capítulo, o leitor conhecerá a origem de Irmã Dulce, sua vida no convento, o trabalho com os operários, sua luta em defesa dos mais pobres, além da história do hospital que surgiu de um simples galinheiro.

 

Mulheres Extraordinárias

Livro convida para conhecer de perto histórias da vida real de mulheres e seus comoventes relatos do cotidiano

Lançada pela PAULUS Editora e escrita pela jornalista Karla Maria, com ilustrações de Rebeca Souza Venturini, a obra Mulheres extraordinárias reúne um conjunto de perfis, reportagens e histórias de mulheres marcadas por diversos dramas sociais, raciais e morais. Desabafos emocionantes de fé e de conquistas, que foram confiados à autora em meio a lágrimas e sorrisos. São relatos de lutas, superações, denúncias de maus-tratos, preconceitos e desespero.

Com olhar jornalístico e sensibilidade feminina, a repórter Karla Maria percorreu as periferias existenciais, lugares distantes e nem sempre atraentes, para narrar histórias de vida que ninguém vê. A autora se põe no lugar das personagens para dar voz a relatos esquecidos e escondidos pelo Brasil afora.

A obra divide-se em 13 capítulos, intitulados “A luta da pele”; “Violentadas pela vida”; “Torturadas”; “Filhas do meio-fio”; “‘Cs’ que inspiram”; “Vidas abortadas e reconstruídas”; “Refugiadas pela vida”; “Vida fora dos trilhos”; “Mestras e aprendizes”; “Meninas que gostam de meninas (depoimentos anônimos)”; “Mulheres de fé”; “Multiplicadoras do bem” e “Ela”.

O livro conta as histórias das delicadas e fortes “Marias” que representam a face de tantas outras mulheres portadoras de tristezas e alegrias.  Segundo Karla, toca a figura da mãe órfã, da mulher traficada, refugiada e freira, ao lado de indígenas, negras e quilombolas; mulheres em situação de rua, que lutam por detrás das grades. Tem MC Soffia, tem Mãe de Maio, Mãe da Sé. Tem mulheres que apanharam e recomeçaram; mulheres belas. Tem a Bela, a vida, a resistência, o grito. Tem Guadalupe, tem Maria, tem fé.

A publicação é fruto de um apanhado de acontecimentos e experiências que Karla Maria apurou ao longo de seus 15 anos de carreira como repórter. A autora não foge das realidades; pelo contrário, apresenta o mundo em que essas mulheres vivem e as realidades que enfrentam. O trabalho é resultado de longas conversas, longas caminhadas e observação do cotidiano delas, com uma apuração delicada e respeitosa.

Além disso, o livro também fala dos bastidores de algumas reportagens, aventuras pelos rincões do país, os dilemas e o medo que às vezes, segundo ela, visita o fazer jornalismo.

Rebeca Souza Venturini é designer e ilustradora formada pelo Centro Universitário Belas Artes de São Paulo e pós-graduada em Design Editorial pelo Istituto Europeo di Design, na mesma cidade, aliando sempre o digital mas sem deixar o lápis.

%d blogueiros gostam disto: